“Dont Tread on me”. Ecos Pré-Cotas raciais. As Madalenas Arrependidas piram!


Tea party  flag (para quem não conhece, o “Tea Party” é a corrente mais à direita do Partido Republicano norte americano.) A turma do chá preto e as outras turmas ‘deles’. (A analogia com a cobra traiçoeira – vocês logo verão – é pertinente e providencial). Pode ser apenas impressão do tio, mas o que chamarei aqui de “turma do chá preto”, adeptos tardios do anti … Continuar lendo “Dont Tread on me”. Ecos Pré-Cotas raciais. As Madalenas Arrependidas piram!

Menos Foucault mais Fu Kiau – Filosofia bakongo para iniciantes


Atenção: Todo o conteúdo deste blog esta assegurado por uma licença Criative Commons. Gráfico da cosmogonia bakongo (aproximadamente século 10) segundo estabelecido pelo etnólogo congolês Fu Kiau Benseki. Observem que, curiosamente a cruz como fundamento cosmológico já existia na cultura bakongo bem antes da chegada dos portugueses e seu cristianismo. Contudo, não viaje demais por enquanto. Não especule além do que o entusiasmo pode ser … Continuar lendo Menos Foucault mais Fu Kiau – Filosofia bakongo para iniciantes

Black 17th century. Na verdade barroca o ‘making of’ de nós mesmos


Todo o conteúdo deste blog está assegurado sob uma licença Criative Commons. Aleluia! Aleluia! A dissecação do nosso corpo brasileiro velho, redivivo, graças a Internet está nos livros. Já disse e continuo a dizer cada vez mais animado: Ai de nós se não fosse a ‘Rede’ este espaço difuso, escorregadio e permeável, porém democrático, que nos governa como um Deus pirado, um Grande Irmão de … Continuar lendo Black 17th century. Na verdade barroca o ‘making of’ de nós mesmos

Retrato de Nkanga a Lukeni ou D.Garcia II-1643


Todo o conteúdo deste blog está assegurado sob uma licença Criative Commons. Para holandeses e portugueses Nkanga a Lukeni era ‘O Cara’ Este pomposo cidadão se chama Nkanga a Lukeni a Nzenze a Ntumba também conhecido como D.Garcia II, Manikongo (rei do Kongo) entre 1641 e 1661, por aí. Lukeni, um rei católico que se presume fosse irmão da Rainha de Ndongo e  Matamba Nzinga … Continuar lendo Retrato de Nkanga a Lukeni ou D.Garcia II-1643

Cadeia de memórias reparadas é um tenso fio


Creative Commons LicenseTodo o conteúdo deste blog está assegurado sob uma licença Criative Commons.

Paulo Gomes Neto e Eu, amigos de cadeia, amigos para sempre. Ao fundo, entre nós, o  secretario de Direitos Humanos Antonio Carlos Biscaia, grande batalhador da reparação e do reconhecimento do valor de nossas lutas modestas, agora sim cobertas com alguma glória.

E eu, arquivo vivo vou queimando aos poucos

 …”Quinze minutos depois do avião da Cruzeiro do Sul levantar vôo do Rio de Janeiro com destino a São Paulo, no dia primeiro de julho de 1970, quatro jovens deixaram seus lugares e se dirigiram à cabina de comando. Lá foram breves: era um sequestro. Armados, eles obrigaram o piloto a voltar para o aeroporto do Galeão…

Quem sabe deste incidente aventureiro? É filme? É teatro? Não, foi fato. Foi sim. É que memórias são fios que se desfiam de um rolo para se embaralharem irremediavelmente, até não serem jamais meada nem medida, até não poderem mais ser enrolados em rolo algum.

A Reparação do irreparável Continuar lendo “Cadeia de memórias reparadas é um tenso fio”

Infográfico Kilombo-Palmarino. Hipóteses em documentos oficiais


Todo o conteúdo deste blog está assegurado sob uma licença Criative Commons. Os nomes e uma provável genealogia de Palmares Este infográfico que você vê aqui acima, além de ser uma obra em progresso é ‘comunitário‘, ou seja: Você pode sugerir inserções, correções, o que quiser. As regras ou orientações para se fazer isto, contudo são muito técnicas, antropológicas melhor dizendo e não podem ser … Continuar lendo Infográfico Kilombo-Palmarino. Hipóteses em documentos oficiais

A pedagogia musical do Titio faz Musikfabrik na Maré


Atenção: Todo o conteúdo deste blog esta assegurado por uma licença Criative Commons. A última experiência do Titio com jovens e crianças de favela foi mesmo inesquecível. Se você quiser o tio ensinando e aprendendo com crianças como estas, vai ter que tirá-las deste gueto e trazê-las até o tio num espaço que não seja de exclusão. O enorme e aprazível campus da Uerj, por … Continuar lendo A pedagogia musical do Titio faz Musikfabrik na Maré